quarta-feira, 20 de maio de 2015

Os Três Planos de Domínio da Vida Plenamente


“Quando o homem chegar a dominar-se conscientemente, dominará também a Natureza, porque, conhecendo e obedecendo às suas leis, a Natureza, submissa e escrava, obedecerá às suas ordens. Porém, enquanto imperar o egoísmo entre os homens, os elementos transbordados serão tão caprichosos e cruéis como a humana natureza... segundo estas proféticas palavras: “Quanto mais pesado fizeres o mundo, mais o mundo pesará sobre ti””.
Professor José Henrique de Souza, Pensador e Escritor Brasileiro, Fundador da SBE – Sociedade Brasileira de Eubiose.

A Palavra Dhâranâ, que vem do Sânscrito, tem o significado de “Controle Total da Mente”. Mente, num sentido mais amplo, é um instrumento de uso não apenas humano, mas de todos os reinos da natureza, pois de certa forma, tudo é a mente, como se todo o universo fosse um pensamento da Mente de Deus. É apenas uma forma de ver a coisa, de tentar enxergar o macro e o microcosmo.  Assim, só podemos conceber o domínio da mente humana se for a própria, ou seja, não cabe aqui o domínio sobre o outro, pois isso seria uma forma de coação, de fazer o outro fazer algo que não queira, ou não concorde, algo como um tipo de tirania, um desrespeito ao livre arbítrio do outro, um crime, portanto.

Devemos dominar sim a própria mente, pois seu mundo é um reflexo de sua mente. Se você nutre bons pensamentos, terá um bom mundo exterior.  O exterior é um reflexo do interior. É simples, mas não significa que seja fácil, pois o primeiro passo é entender a sutileza da consciência deste processo. Aí já fica complicado, porque as pessoas preferem, de modo geral, apenas acreditar em algo se lhe cai bem. Se lhe é agradável, aceita; se não, recusa. Daí já se percebe o tamanho de nossas limitações, de padrões tão bem enraizados em nosso subconsciente que achamos que assim que deve ser, pois nunca paramos para pensar: e se o ideal fosse eu começar a aceitar algo que não concorde de imediato? E se fosse bom para minha evolução questionar se o bom é de fato bom apenas porque me cai bem? Quando o bom é bom porque me cai bem, e quando não?

São perguntas pragmáticas, devem ser tidas com intuito de se colocar em ação um empreendimento em prol da própria evolução, pois sem questionar, não há evolução. Apenas aquele que ousa questionar aprende a questionar cada vez melhor, de modo prático, não apenas para o deleite da mente, mas para se colocar em aplicação na vida efetivamente, e mudar os padrões limitantes. O homem só conseguirá ser pleno, quando dominar sua mente plenamente, e isso significa dominar o subconsciente, o inconsciente, as emoções, etc. Assim, domina todo seu mundo, e a Natureza se curva!
Os três planos da evolução e de domínio do ser humano devem portanto ser: o corpo, a alma, o espírito. Dominar o corpo significa dominar sua saúde plenamente, sua alimentação, as experiências que opta por ter, por vivenciar com seu veículo físico, como esportes, por exemplo.

Dominar a alma significa dominar sua mente e suas emoções, isso requer um aprendizado de equilíbrio constante, pois somos testados constantemente: assim que dominar um nível, passará para o próximo desafio.  A evolução nunca para!

Dominar o espírito, no sentido que quero aqui dar, significa entregar-se plenamente para a sua Divindade Interior, a sua Sabedoria Interna, sua Voz do Silêncio, como diria Blavatsky, e outros sábios mais antigos. A mente humana só compreende o que tem nome, cor e forma. Nome tem relação com o canal auditivo; cor, com o visual; forma, o cinestésico. A mente mente, pois tudo o que ela gera são pensamentos engendrados com suas referências interiores que são, por sua vez, impressões na mente de energias captadas pelos sentidos. Os sentidos filtram as informações, e assim produz efeitos através de três processos internos: elimina informação, generaliza a informação, e distorce a informação, ou seja, o efeito causado nas impressões internas da mente humana são destorcidos, generalizados e omissos. A mente precisa trabalhar com esses processos, ou não dá conta de tanta informação. É de sua natureza. Dominar a natureza da mente é dominar a si mesmo, ser Senhor de si.

Generaliza, ou aprende, por exemplo, que atravessar a rua sem olhar é perigoso, assim toda vez que uma pessoa vai atravessar a rua, ela tende a olhar bem para ambos os lados. É uma generalização útil e positiva, mas nem todas são, como por exemplo: todo homem não presta!

Omite ao atentar para o que interessa mais, para o que está em sua mundo, por exemplo, um ciclista enxerga muitas bicicletas pela cidade, enquanto um caminhoneiro enxerga muitos caminhões, omitindo o que não faz parte de seu mundo, desta forma.
Distorce as informações, pois ao tentar entender o mundo, uma informação, ou algo percebido exteriormente, ou mesmo interiormente, a mente busca por respostas, e assim, muitas vezes encontra algumas que servem para “quebrar um galho”, mas isso não significa que seja a resposta verdadeira. O problema surge quando resolvemos nos fechar para um mundo mais amplo e decidimos que aquilo é verdade. Proceder assim é se limitar, e se afastar da meta de pleno domínio de si mesmo! Realmente o mais sábio conselho aqui seria: tire suas conclusões, mas não coloque um ponto final definitivo. Estar aberto para novos olhares sempre nos enriquece muito mais. Sábio é aquele que sabe ouvir uma criança, um idoso, um jovem, os diferentes com respeito e real interesse, pois temos tanto a aprender com tudo e com todos, que o mais sábio de todos é aquele que diz que nada sabe, ou seja, ao nível de Sócrates. Esse grau de maturidade interior deve ser consciente, não se deve assumir esta postura apenas porque cai bem, tudo deve ser plenamente consciente. Só a consciência domina a matéria, pois é esta sua Origem: a matéria origina-se da Consciência, e tudo o que existe surge no plano da Consciência no princípio.

Queremos sempre o caminho mais fácil, mas assim caímos em muitas armadilhas.
Há um caminho mais simples e fácil, por outro lado, e só requer treino: consulte sua Sabedoria Interior. Entre no seu silêncio, na sua Voz do Silêncio, esvazie a mente de todas as referências exteriores, medite, pratique, e encha-se de sabedoria e de luz mental superior, de acordo com o que seu Deus Interno disser, ou seja, não siga o que estou te falando, mas o que sua Sabedoria Interna disser, orientar, mostrar, apontar, etc. Aprenda a diferenciar se é sua mente, suas emoções, ou se realmente é algo puro e superior, como uma verdade cristalina e indubitável.  São coisas bem diferentes. Siga sua busca por algo superior, pois estamos num momento de experimentação na face da Terra onde as formas devem ser mais flexíveis, pois um dia viveremos num mundo sem forma, sem cor, sem nome: a nossa origem divina.

Rogério Turgante
Escritor.

2 Dicas da Programação Mental:
1.       Obtenha seu E-book aqui: http://hotmart.net.br/show.html?a=R2446612R “Ferramentas da PNL para uma Mágica Comunicação”.

2.       Página Programação Mental no Facebook: https://www.facebook.com/programacaomental


terça-feira, 5 de maio de 2015

Programação Mental para Comunicação e Vendas

Não olhes nem murmures contra os pecados alheios enquanto fores tu mesmo um pecador”. Professor Henrique José de Souza.



A Programação Mental estuda a mente, as emoções, o espírito humano, e como tal, não tem como deixar de estudar o sistema humano físico, o sistema nervoso, suas funções, e como que a comunicação (verbal e não-verbal) afeta o seu sistema todo.

Assim, para quem é profissional de comunicação, vendas, atendimento ao cliente, ou para quem lida com pessoas, é crucial aprimorar-se em sua comunicação. Ao fazer isso, não apenas adquire novas habilidades comunicativas, mas também se enriquece como pessoa, melhora sua autoestima, sua autoconfiança, seu autocontrole, e sua comunicação impacta de um modo positivo as pessoas e situações.

Segue abaixo, alguns aspectos para melhorar seu modo de se comunicar, e consequentemente entender melhor o mundo do outro, e influenciar mais poderosamente. Todos somos vendedores, de um modo ou de outro, pois ao comunicar, o homem quer ser ouvido, entendido, e sua mensagem precisa atingir seu objetivo.

Comunicação Verbal e não-verbal:
Canais auditivo, visual, cinestésico e indefinido: as pessoas têm um (ou dois) destes canais mais desenvolvidos, ou seja, de modo geral, as pessoas não se comunicam de modo completo. Uma pessoa cinestésica se comunica de modo verbal e não-verbal distinto de uma pessoa visual ou auditiva. O cinestésico gosta de sentir, se aproxima para se comunicar de perto, pois quer sentir, fala mais vagarosamente, usa vocabulário relacionado ao universo do sentir, exemplo: confortável, gostoso, saboroso, prazeroso, quente, frio, pesado, leve, etc.

Um visual, por sua vez, gosta de ver, portanto se coloca mais distante ao conversar com alguém, pois precisa ver. Costuma falar rápido, pois passam muitas imagens em sua mente, e ele quer acompanhar a velocidade das imagens passando. Usa vocabulário próprio de um visual, como: ver, panorama, horizonte, bonito, belo, beleza, tons de cores, colorido, etc. Para um visual, uma música é bonita; para um cinestésico, gostosa; para um auditivo, harmônica. É como se o Visual de fato visse o som, pois deve criar uma imagem quando ouve uma música.

Um Auditivo, agora, prefere a audição, portanto dá uma distância mediana do outro com quem está conversando, pois o que importa é ouvir bem, com clareza cada som, percebe sons que os outros não, como diferenças de ritmo, timbre, sonoridades, velocidade de fala, volume do som, etc. Usa vocabulário referente ao universo do auditivo, como: harmonia, melodia, timbre, ritmo, sonoridade, volume, gritar, sussurrar, variações rítmicas, grave e agudo, etc.

Entender com profundidade estes universos é imprescindível, pois assim, você não apenas entende as pessoas melhor, como se comunica no canal do outro. É como aprender três línguas, a do visual, do cinestésico e a do auditivo.

Há ainda o Indefinido, que pode se caracterizar por usar uma mistura dos três, sem maior predominância de um ou dois. Pode usar língua inespecífica, com vocabulário com muitas palavras abstratas que não se encaixam em apenas um canal, como por exemplo: amor, esperança, paciência, pensar, determinação, decisão, etc.


Rapport

Rapport tem a ver com espelhamento. É uma palavra que vem do francês, também usada na Língua Inglesa, e indica o grau de empatia que as pessoas conseguem gerar. Ou seja, quanto maior o grau de empatia, maior o rapport. A PNL (Programação Neurolinguística) descobriu que podemos modelar isso, isto é, é possível aprender este modelo de comunicação, tanto verbal quanto não-verbal, e reproduzi-lo.

Experimente como exercício, espelhar o vocabulário do outro, a velocidade da fala, o tom de voz, etc. Espelhe também, gestos, posturas, etc. Mas cuidado, não se trata de imitar o outro, isso seria um desrespeito com o outro. O objetivo é entrar em melhor sintonia e criar empatia, como se fossem duas pessoas se comunicando na mesma língua, pois estão no mesmo canal. Tenha atenção aos seguintes itens ao praticar rapport: elegância, respeito, ética, discrição. Use-os à vontade sempre.  

Alerta: esta ferramenta é extremamente poderosa, principalmente em vendas, não deve ser usada para ludibriar e enganar jamais! Um bom comunicador e profissional usa com profissionalismo, com ética, com um grau de caráter melhor. Se fizer o contrário, a responsabilidade é toda sua (aliás, sempre é, sempre foi!),  e as consequências também. Se plantar algo de belo, de bom, colherá bons relacionamentos; se fizer algo diferente, a colheita também virá. O papel da PNL e da Programação Mental é nos aprimorar, e isso também significa aprimorar o caráter, ou seja, nutrir hábitos de ajudar as pessoas, de se comunicar melhor, nunca com intenções egocêntricas, mas sempre com intenções maiores e mais nobres. A energia gerada é bem diferente, apesar de na aparência poder parecer a mesma coisa: não é! Vamos criar um mundo melhor, onde as pessoas se comunicam melhor, respeitam as diferenças, e se entendem mais profundamente e com um grau de “audição ativa” excelente. As pessoas precisam de atenção, mas a verdadeira é feita com um ingrediente indispensável: amor. Não há como fingir isso.

Intenção Positiva ou Ganho Secundário

Todos temos partes, e elas têm intenções sempre positivas. Não há nada de negativo no Universo, tudo o que existe tem uma razão de ali estar. E tudo está interligado.

Sendo mais prático, quando uma pessoa quer parar de fumar, ou aprender a controlar seu peso, por exemplo, normalmente há no mínimo duas partes conflitantes: a que quer, e a que tenta impedir. É possível fazer um acordo com as duas partes se descobrir qual a intenção positiva por trás do comportamento. Se perguntar dentro de você: parte que me impede de ter o comportamento X, qual sua intenção? O que você quer? A resposta pode ser surpreendente. Normalmente ela quer algo como: prazer, curtição, diversão, proteção, segurança, evitar dor, gerar prazer, manter na Zona de Conforto, portanto a inércia, etc.

Para um trabalho mais aprofundado, é preciso consultar um profissional de PNL, que seja formado como Practitioner, e que tenha experiência em conduzir este trabalho. Você pode descobrir mais no Livro “Sapos em Príncipes” de Richard Bandler e John Grinder, os pais da PNL na década de setenta.

Para os profissionais de comunicação, pergunte ao cliente de modo respeitoso (não afrontador), e de preferência de modo indireto: “ao você objetar, isso me deixa curioso em saber o que você pretende com isso”. Ao dizer isso ao seu cliente, por exemplo, você faz com que ele gere uma resposta, que pode indicar onde você pode satisfazê-lo naquilo. E então, você pode responder: “se isso for satisfeito, podemos assinar o contrato hoje ou ainda teria algum empecilho?” Se o cliente disser que sim, basta seguir para etapa do fechamento, se disser que ainda existe empecilho, faça a etapa anterior e satisfaça a objeção. E pergunte novamente: estando todos os itens satisfeitos, então, podemos assinar o contrato agora?

Resumindo:

Perceba que para ser melhor comunicador, melhor vendedor, melhor profissional, é preciso aprimorar os seguintes itens:
1.    Comunicação verbal;
2.    Comunicação não-verbal;
3.    Entender e saber usar os canais VAC (Visual, Auditivo e Cinestésico), e o canal indefinido;
4.    Gerar empatia com ética: rapport;
5.    Saber lidar com as partes conflitantes e ganho secundário;
6.    Estratégias de negociação;
7.    Autoestima elevada;
8.    Ter objetivos claros e determinação;
9.    Sistema de crenças fortalecido – administrar isso é crucial;
10.          Senso de missão e propósito: qual sua missão neste trabalho específico? Com este cliente especificamente? Ou neste momento, local, etc?
11.          Aprimoramento constante.

Conclusão

A Programação Mental oferece uma gama de opções para aprimorar sua comunicação e seu sistema em geral, ou seja, ser melhor a cada dia. E sempre praticar e se aprimorar deve ser uma constante, pois sempre estamos aprendendo mais: “só sei que nada sei”, diz Sócrates, e assim, é preciso haver humildade para entender nossas limitações, não nos cobrarmos em demasia, mas continuar firme, seguindo adiante, pois temos muito a realizar em prol de si mesmo e dois outros.

Sugestões de Livros e Sites
Desperte seu Gigante Interior, Anthony Robbins;
Crenças, Robert Dilts;
Sapos em Príncipes, Richard Bandler e John Grinder;
Ferramentas para uma Comunicação Mágica, Rogério Turgante.

Sites:

Artigo do Professor Rogério Turgante
Practitioner em PNL, Escritor, Pesquisador, Consultor e Instrutor de PNL e Programação Mental desde 1997.
Agendamentos por Skype: prof.turgante

Dicas Ricas:
1. Obtenha seu E-book aqui: http://hotmart.net.br/show.html?a=R2446612R
“Ferramentas da PNL para uma Mágica Comunicação”.
2. Quer saber mais? Assista, curta e se inscreva em nosso canal: PNL: Canais Visual, Auditivo e Cinestésico: http://youtu.be/8dBI8oJ7dMk
3. Curso Gratuito de PNL online em 5 aulas, inscreva-se: http://goo.gl/forms/FviXu0izcL


quarta-feira, 8 de abril de 2015

Fortaleça sua Imagem Mental

Olá, tudo bom?

Muitos falam em aprender Inglês, ou qualquer outra coisa, e não conseguir, ou melhor, tentar aprender Inglês e ter falhado. Tenho de ser sincero com você: ao tentar, damos 50% de chance ao azar! Para de fato desenvolver seu Inglês é preciso querer e fazer, tentar não é suficiente. Por outro lado, é bem mais simples do que se possa imaginar, aliás, usando a imaginação mesmo, imagine-se já com seu objetivo conseguido: como seria se hoje você falasse Inglês? Você conhece alguém que fala Inglês admiravelmente? Alguém que aprendeu? Se ele pode, você também pode!

Crie uma tela mental, veja a si mesmo falando tão bem, se comunicando, entendendo e se fazendo entender em Inglês, crie de maneira viva e real, como seria? Primeiro seja o escritor da história que quer protagonizar; depois seja o diretor, ou seja, faça todos os ensaios, ajustes, edite, até a cena toda estar perfeita, e nos três canais: visual, auditivo e cinestésico, quero dizer: o que você vai ver? O que vai ouvir? Agora, seja o ator, entre na cena e sinta-se bem falando a Língua Inglesa com boa qualidade e facilidade. Se achar necessário, refaça quantas vezes achar necessárias, até conseguir de fato reproduzir, pois tudo o que a mente faz internamente, consegue reproduzir igualmente no exterior.

Um dos maiores obstáculos, nesses meus vinte anos dando aulas de Inglês, que percebo, é a crença: muitos alunos não acreditam que podem, e consequentemente.... adivinhe só o que acontece? Acabam não podendo mesmo! Eles criam imagens internas tão vivas deles mesmos, cheios de bloqueios, com mil dificuldades, e depois reclamam achando que a Língua Inglesa é difícil, ou que eles não têm a capacidade. Percebem onde surge a questão? Internamente, nas estratégias mentais inadequadas!

Que tal inverter a estratégia? Que tal usar a estratégia mental para criar imagens de si conseguindo bem seus objetivos? Tudo aquilo que você vivencia internamente passa a ser real para seu sistema neurológico, é esta a linguagem que cria o mundo em que você vive. A linguagem interna para seu Inconsciente cria o mundo exterior!

Pratique! Mas pratique com seriedade, pois é esta outra falha de alguns, praticam um pouquinho, e param... Isso não dá muitos resultados. Praticar com seriedade leva ao sucesso em qualquer setor de sua vida! Determinação e consistência podem te levar muito longe! Pratique todo dia com denodo e convicção!

Conte comigo se precisar, me adicione no Skype: prof.turgante, e agende uma horinha que pode mudar sua vida! Seja para aprender ou aprimorar seu Inglês, seja para outro assunto. Confie em si mesmo, há um Potencial enorme aí, eu sei disso!

Prof. Rogério Turgante
________
PS: Você já se inscreveu para o Curso Gratuito Online de Programação Mental para seu Sucesso? Ainda não? Então corra, nesta semana sai a primeira aula em vídeo! Inscreva-se aqui: http://goo.gl/forms/FviXu0izcL Se você já se inscreveu, verifique em sua caixa de spam ou lixeira, e adicione o e-mail programacaomental@gmail.com em seus contatos para poder receber estas aulas gratuitamente! Se preferir, envie um e-mail para este endereço que acabo de citar.

PPS: quer participar ao vivo de um Curso de Programação Mental comigo? Estou em São Paulo dando um curso de um dia no dia 23.04, e um de dois dias nos dias 25 e 26 de abril. Ainda dá tempo de se inscrever, e o valor está bem em conta, e facilitado, inclusive no cartão de crédito! Inscrição com Ana, da Frezzatti Treinamentos:
Cel e Whatsapp: 11.9.9939.3613,
www.facebook.com/frezzattitreinamentos. Se preferir, me adicione no Skype: prof.turgante
________

quarta-feira, 25 de março de 2015

Exercício para Alterar Padrões com Programação Mental

Olá, tudo bom com você?

Estamos no início de um novo ciclo astrológico, entramos numa nova estação, e muitas coisas esperamos para este novo ciclo que vai de 21.03 a 21.03 2016.


E você já fez aquela revisão sobre seus aprendizados? É sempre útil todo o aprendizado passado, em que pontos nos aprimoramos, em que pontos ainda temos a aprimorar, que padrões transmutamos, e que padrões ainda nos bloqueiam.
Muitas vezes, transformar um padrão limitante em um padrão impulsionador pode ser mais simples do que imaginamos.

Assim, quero sugerir um simples exercício que você pode fazer diariamente. É simples, mas não se engane com a aparência, é profundamente transformador, e só o faça quando realmente quiser mudar algo em sua vida, ou seja, em sua raiz, em sua causa.

Segue:
1.     Escreva num papel três itens de que você não gosta, não quer mais, etc. Coloque o título nesta folha de papel: “O que não mais quero em minha vida financeira”. Você pode trabalhar por setores, como Vida Profissional, saúde, relacionamentos, espiritualidade, etc. Esta lista deve ser negativa, por exemplo, coloque algo como: não quero mais ser tímido, ser procrastinador, não quero um namorado ciumento e possessivo, etc.

2.     Escreva num segundo papel três itens dos quais gosta, ou quer, com base na primeira lista, pois será o oposto da de cima. Coloque o título noutra folha de papel à parte: “O que eu quero de verdade em minha vida amorosa” da mesma forma, pegue um setor de sua vida por vez, como os sugeridos acima. Esta é a Lista positiva, por exemplo, ao ler o primeiro item da Lista negativa “não quero mais ser tímido”, você deve se perguntar: o que eu quero então ao invés disso? A resposta deve ser sempre na afirmativa agora, nesta segunda lista, não use palavras como: não, nunca, sem, etc. Digamos que a resposta seja: eu quero ser extrovertido, espontâneo, quero me comunicar bem. Coloque sempre com as suas próprias palavras, e não a opinião alheia, a resposta deve vir de dentro de você.

3.     Feitas as Duas Listas, em duas folhas de papel separadas, agora olha para a lista negativa, e se pergunte: eu realmente quero me livrar disso tudo? Se a resposta for positiva, continue; se não, faça os ajustes necessários.

4.     Observe agora como você se sente ao ler cada item, leia o item 1 da lista negativa, e observe: como você se sente? Projete toda a energia e sentimento negativo para o papel; mentalize como uma fumaça, uma nuvem, algo assim, saindo de você e se fixando no papel. Faça isso com todos os itens.

5.     Após ter a certeza de que não restou nada em você de sentimentos e energia negativa, agora você vai colocar fogo no papel negativo. Faça isso somente se: 1. Já fez a Lista positiva, oposta à primeira lista; 2. Já colocou toda a energia e sentimentos negativos no papel da lista negativa; 3. Se estiver num local adequado e seguro, longe de cortinas ou qualquer item facilmente inflamável, certifique-se de sua segurança e da dos outros também.

6.     Após queimar o papel negativo, é comum sentir um alívio, uma alegria, algo de bom. Agora, foca no que você quer, a Lista 2, a positiva. Coloque-a num local visível para você, dentro de sua agenda, na porta da geladeira, do guarda-roupa, numa parede, e leia em voz alta três vezes por dia, como se fosse uma declaração, comece assim: “Eu, Fulano de tal, declaro que quero de verdade os seguintes itens em minha vida: 1....; 2....; 3... e sei que está vindo para mim da melhor maneira, e no tempo certo. Assim, eu agradeço”.

A Lei da atração implica três etapas: 1. Pedir; 2. Acreditar; 3. Receber. Acontece que muitas pessoas não conseguem fazer bem nenhum dos três itens, e culpam a tal lei por não funcionar. Isso é simplesmente impossível, ela funciona o tempo todo. Então, alguns segredinhos para você poder fazer bem esses três itens:

1.     Pedir: é preciso ter o máximo possível de CLAREZA. Sem clareza, não funciona. Isso quer dizer: construa a imagem de seu objetivo alcançado nos três canais VAC (Visual, Auditivo e Cinestésico), em outras palavras, veja os detalhes visuais, ouça os detalhes auditivos, sinta os detalhes cinestésicos, com riqueza de detalhes; leva tempo, mas vale a pena. Escreva, descreva, enriqueça-se mentalmente, e a manifestação será ais simples, pois o “Universo”, que sempre conspira a nosso favor, entenderá sua encomenda com muita clareza.

2.     Acreditar: este item requer que de fato tenhamos um cuidado especial com nossos padrões interiores. É preciso sempre trabalhar os autossabotadores que temos, e todos temos muitos, ou alguns, sempre que queremos mudar algo, algum padrão.  Isso é normal, e eles não são maus, como podem alguns pensar, ou contrário, são partes poderosas que temos, e que têm uma Intenção Positiva, elas querem algo de positivo, mesmo que seja aparentemente difícil de saber o que é. Mas elas têm um tempo de validade, e quem determina isso é você. Já chegou ao tempo, ou ainda deve ser válida: está em suas mãos decidir.  Ao fazer o exercício proposto, você está dizendo a essas partes: “obrigado, você serviu, e agora eu te liberto, você está livre para seguir seu caminho, e se transmutar neste fogo”.

3.     Receber: para receber, basta aguardar, nem tudo vem tão rapidamente, e nem tudo demora toda a eternidade. Tudo já existe, no aqui e agora, muitas vezes precisamos dar tempo ao empo, e mesmo que demore, devemos nutrir a esperança, a fé, a convicção de que pode vir se o Universo conspira a seu favor, então virá. Muitas vezes pedimos coisas que o Universo não vai ter como, então podemos pedir apenas uma reposta em relação ao pedido original, por exemplo, se você desconfiar de que se encaixa neste caso seu pedido original, o de pedidos que o Universo não poderia atender da forma como foi pedida, então pergunte ao Universo: dá-me uma resposta, me ensine a pedir, me dá uma direção. Se achar melhor, refaça todo o exercício e refaça seu pedido. Lembre-se, a princípio, o impossível não existe, a não ser que você o queira, você quer?

Eu espero que tenha contribuído com seu enriquecimento e crescimento.

Mande-me seu feedback. Você fez  exercício? Qual tem sido o resultado? Tem tido dúvidas? Quais?

Grande abraço.
Sucesso e Felicidades!
Rogério Turgante.
Instrutor e Consultor de Programação Mental desde 1998
Adicione-me no Skype: prof.turgante

PS: Participe da Comunidade de Programação Mental:
1.     Grupo de PNL no Facebook: https://www.facebook.com/groups/programacaomental/?fref=ts

Conheça dois produtos excelentes aqui:
1.     O seu E-book aqui: http://hotmart.net.br/show.html?a=R2446612R “Ferramentas da PNL para uma Mágica Comunicação”.
2.     Curso: Conexão Essencial: Um Treinamento Online de PNL: http://hotmart.net.br/show.html?a=R2658895R

PPS: Ah, antes de terminar, tenho uma novidade especial, estou dando alguns Cursos presenciais em SP em parceria com a Frezzatti Treinamentos, vejam aqui, e se inscrevam, são para grupos pequenos de no máximo 20 pessoas, corra que ainda dá tempo: https://www.facebook.com/frezzattitreinamentos?fref=ts  - Curta a página e divulgue para seus amigos também. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

Como Sair da Zona de Conforto?

Como Sair da Zona de Conforto?

Certa vez eu ouvi uma história num evento no qual participei que contava sobre um cachorro sentado no prego.

Um motorista para seu carro para abastecer num local um tanto deserto, e percebe um choro. Procura com os olhos e vê um cachorro resmungando, ou chorando mesmo... Ele se aproxima de um senhor que parecia ser o dono do posto de gasolina, ou o gerente, e pergunta: este cachorro é seu? E ele: é sim. O motorista: e por que ele chora tanto? O dono: ah, é porque ele está sentado num prego. O motorista fica muito surpreso, e até achou que fosse uma brincadeira. Mesmo assim pergunta: mas por que ele não sai de cima do prego? O dono: bem, acho que não deve estar doendo tanto ainda, né?

As pessoas reclamam de suas vidas, de seus problemas, mas preferem ficar aí, reclamando. E por que não tomam a decisão de fazer algo diferente, de buscar uma solução? Ou, simplesmente, por que não se  levantam de cima do prego? A resposta pode variar, mas geralmente é: por mais dolorido que esteja a situação, ainda assim é preferível ficar com ela, pois essa é conhecida. Se eu mudar, como vai ser? Terei de enfrentar um mundo novo, sem pregos me espetando, seria como isso?

As pessoas, muitas vezes nem percebem que tem o poder de mudar em suas mãos. Ou ainda nem perceberam que estão sentadas num prego, pois afinal, nem está doendo tanto assim. Outra possível alternativa é: eu não sei como fazer a mudança.
Seja qual for o caso, é preciso tomar uma decisão de mudar, de tomar um novo rumo, e de começar a aprender um novo caminho.

Conte comigo, vamos desvendar novos horizontes, com muito mais prazer, e sem a necessidade de pregos nos espetando. Ou ainda tem a necessidade?

Abraços.
Prof. Rogério Turgante
Instrutor e Consultor de PNL.
Atendimentos pelo Skype: prof.turgante


PS: ganhe um áudio-palestra aqui: http://goo.gl/forms/tS6RNzxnqN - “Os Oito Passos para Boa Formulação de Objetivos”.